Dique Seco – Estaleiro Wilson & Sons, Guarujá – SP

 

O estaleiro Guarujá II, foi inaugurado em 2013, utilizando as mais modernas tecnologias mundiais de construção portuária. No dique seco foram utilizadas estacas pranchas, tanto para as paredes permanentes, quanto para a ensecadeira temporária. O piso do dique foi feito mais baixo, que o leito do canal de navegação em frente. As paredes de contenção para escavação e finalmente mantidas como paredes definitivas pintadas com tinta a base de epóxi, que permite a ação catódica anti-corrosão. O projeto é localizado no município do Guarujá, Estado de São Paulo.

Com um dique seco de 26 metros de boca e 145 metros de comprimento a Wilson Sons, conseguiu dobrar a capacidade de produção da empresa na fabricação de rebocadores e embarcações de apoio offshore, (atendimento a plataformas de petróleo).

Na construção a Tünkers utilizou seu martelo hidráulico modelo HVB 130, para a cravação de estacas pranchas, AZ 37-700, com 28 metros de comprimento vertical, garantindo 100% de estanqueidade para a construção e manutenção de embarcações de médio e grande porte. Contando cada parede e a área de ensecamento foram cravados 300 metros de estacas.

Com essas dimensões, é possível construir embarcações maiores e mais complexas, entre elas PSVS (suprimento para plataformas de petróleo), AHTS (movimentação e posicionamento de âncoras e rebocagem oceânica), PLSVS (lançamento de tubulação e cabos submarinos), RSV (inspeção, manutenção e reparos), WSV (estimulação de poços) e ORSV (recolhimento de óleo).

A primeira embarcação construída no estaleiro Guarujá II foi um Platform Supply Vessel, (embarcação para abastecimento de plataformas de petróleo – PSV), série 4.500, para a Wilson Sons Ultratug Offshore.

Clique AQUI para obter mais informações

www.maps-generator.com