Em 2020, com a crise de saúde causada pela pandemia de coronavírus, o cenário econômico mundial mudou para todas as empresas, principalmente para o setor de empresas gráficas, que foi fortemente afetado.

Um levantamento feito pela Abigraf (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) mostrou que, na época, apenas 13% mantiveram o nível de produção.

Hoje, em Abril de 2022, a indústria gráfica vive um momento de recuperação, porém ainda conturbado, já que as variações de preços de matéria-prima estão acontecendo de forma brusca e intensa em todo mercado.

De acordo com uma matéria da Folha de São Paulo, os serviços de entrega, que aumentaram no período da pandemia, demandam por uma grande quantidade de tipos de papel, como papelão, por exemplo, o que inflacionou fretes marítimos e aéreos, causando impacto em toda a cadeia de produção.

Como se destacar em um cenário ainda incerto?

Sem sombra de dúvidas, a indústria gráfica precisa se reinventar para passar por esse momento pós crise e a base para isso é usar a tecnologia de forma estratégica, além de ter uma gestão competente.

Planejamento estratégico 

Já sabemos que um planejamento estratégico para empresas gráficas envolve muitos elementos: parcerias, atividades-chave, recursos, segmento de clientes, fontes de receita, etc.

Uma das opções para que negócios do ramo gráfico saiam na frente nesse momento é rever pontos relevantes como fontes de receita e segmento de clientes.

É importante também rever o posicionamento de mercado como um todo e dar preferência para setores da indústria que estão com alta demanda, encontrando novas formas de atuar.

Leia também: 4 dicas para otimizar o processo produtivo na indústria gráfica.

Gestão

Boletim Indústria Gráfica  Como as empresas gráficas podem inovar após a crise

Nesse momento, sai na frente aquele que conseguir ser mais veloz e, para isso, uma gestão competente é imprescindível.

Mudanças rápidas vão acontecer e colaboradores e fornecedores devem estar cientes de cada movimento para que possam contribuir de acordo com a necessidade atual do negócio.

Também é essencial que haja uma gestão eficiente da informação, com a finalidade de que as novas ações sejam comunicadas de forma rápida e assertiva para que as equipes coloquem em prática.

Além disso, o mercado também precisa saber o que sua empresa está fazendo.

Tecnologia e inovação

A implantação de tecnologia em empresas gráficas já estava acontecendo antes mesmo da pandemia, mas esse cenário trouxe a necessidade de acelerar ainda mais esse tipo de inovação.

Por isso, as gráficas estão passando por grandes mudanças, mudando seus portfólios e oferecendo novas opções de serviços.

Diante dessa nova realidade, os negócios gráficos podem trabalhar em 4 frentes para inovar:

  • Tecnologias web to print: plataformas para recebimentos de pedidos online, onde o cliente pode orçar, editar, produzir e enviar para a indústria gráfica finalizar o trabalho.
  • Cursos de capacitação: novas tecnologias exigem novos conhecimentos por parte da sua equipe.
  • Gráfica 4.0: máquinas com mais recursos de automação e informatização, que operam em maior velocidade.
  • Mudar o foco da produção: Explorar todo o potencial das máquinas em sua gráfica. Como exemplo, a Tünkers fornece o equipamento Mesa Conjugada de Encadernação MCE_2g para produção de capas duras, mas você poderia utilizá-la na produção de embalagens, caixas rígidas com múltiplos pedaços de papelão. Ou realizando acoplamentos com nossa Liliput 500, desta forma evitando a ociosidade.  

Agora que você já sabe quais ações tomar para trazer inovações para sua empresa, que tal continuar lendo os artigos do nosso blog? 

Quer entender mais sobre a indústria e gráfica 4.0? Clique aqui e leia!