O Lean Manufacturing, conhecido no Brasil como manufatura enxuta, é um modelo de gestão desenvolvido pela Toyota em 1950, que tem como o objetivo eliminar as etapas de produção que não agregam valor aos processos, e principalmente, aos clientes. 

Hoje em dia, o método se expandiu para outros setores além do chão de fábrica e já é aplicado por muitas empresas que visam aumentar sua produtividade e reduzir desperdícios. Pensando nisso, neste texto falaremos sobre o que é, como funciona e tudo o que você precisa saber sobre o Lean Manufacturing.

Boa leitura!

Lean Manufacturing: o que é?

Trata-se de um método de produção que visa reduzir o desperdício de um sistema de manufatura e, ao mesmo tempo, maximizar a produtividade. Para isso, o Lean Manufacturing aborda todas as atividades e os fluxos de informações que existem entre o fornecimento da matéria-prima e a venda do produto para o cliente.

Como surgiu o Lean Manufacturing?

As primeiras versões do método podem ser datadas do início do século 20, quando a manufatura de linha de montagem em grande escala estava começando a criar raízes. 

Porém, ele se desenvolveu mesmo no Japão, na década de 50, como uma solução para a indústria automobilística Toyota após a Segunda Guerra Mundial, que levou a uma escassez de equipamentos e recursos.

Além disso, à medida que as empresas começaram a pensar além da distribuição local e regional, também surgiu a necessidade de eficiência, consistência e velocidade dos processos. 

Quais os princípios do Lean Manufacturing?

Valor

O valor do produto ou serviço deve ser definido sob o ponto de vista do cliente. Para isso, é preciso estabelecer quais são as atividades que agregam valor ao produto, as atividades essenciais para a entrega do produto, mas que não agregam valor a ele, como por exemplo, as funções administrativas e por último, as atividades que além de não agregarem valor para o cliente, podem ser eliminadas dos processos.

Fluxo de valor

Após definir o valor do produto, é possível mapear as atividades indispensáveis do fluxo produtivo, que vão desde a matéria-prima até a entrega. Com o mapeamento dessas atividades, é possível visualizar os processos de forma macro e identificar os desperdícios em todo o fluxo de valor do seu produto ou serviço.

Fluxo contínuo

Outro ponto importante é otimizar o fluxo produtivo a fim de realizar as tarefas sem interrupção. Com um fluxo contínuo, é possível ter uma produção bem mais ágil, com um nível menor de estoques e menos espera entre as atividades, além da entrega com mais rapidez para o cliente. 

Produção puxada

O Lean Manufacturing envolve criar um sistema que agregue valor de forma sustentável e consistente, o que depende do gerenciamento eficaz da capacidade, garantindo que a carga de trabalho seja equilibrada e gerenciável.

Por isso, em uma produção puxada, o produto será fabricado a partir da demanda do cliente, evitando a produção em excesso e o acúmulo de estoques. 

Perfeição

O foco do Lean Manufacturing está no compromisso do controle de qualidade para oferecer o melhor produto possível. Reduzindo os desperdícios que não agregam valor ao produto para o cliente e focando nos pontos fortes para entregar o melhor.

Entre os principais benefícios do Lean Factoring, estão: 

  • Melhoria contínua dos processos;
  • Identificação de gargalos;
  • Aprimoramento da tomada de decisões;
  • Redução de custos;
  • Agilidade na produção;
  • Maior capacidade produtiva;
  • Melhorias no ambiente de trabalho para os colaboradores;
  • Prazos de entrega reduzidos;
  • Estoques mais baixos;
  • Maior qualidade do produto;
  • Maior satisfação do cliente;

Confira também: Automação Pneumática: o que é, aplicações e benefícios

Agora que você já sabe a importância de implementar técnicas que otimizem os processos e entregue maior valor agregado ao cliente, enquanto reduz desperdícios da cadeia produtiva, que tal contar com a ajuda da Tünkers para elevar o nível de produção da sua empresa?
Conheça nossos 9 módulos de Automação Industrial.